Covid-19: Engineering habilita retorno seguro ao trabalho com dispositivo eletrônico.

Covid-19: Engineering habilita retorno seguro ao trabalho com dispositivo eletrônico.

Uma pulseira equipada com sensor RFID (do inglês, Radio-Frequency IDentification), que emite um aviso (sonoro e led) caso duas pessoas se aproximem além das recomendações de distância consideradas seguras para evitar o contágio do novo Coronavírus, é uma nova opção projetada para habilitar o retorno seguro ao trabalho após a quarentena.

A solução, denominada Smart Proximity, foi desenvolvida pela Engineering, companhia global de Tecnologia da Informação e Consultoria especializada em Transformação Digital. “Esta é uma medida efetiva de segurança para o ‘novo normal’ no ambiente de trabalho”, comenta Filippo Di Cesare, CEO da Engineering Latam (Brasil e Argentina).

Baseada num sensor, que pode ser implementado em uma pulseira ou outro suporte, a solução é capaz de se relacionar com um ou mais sensores nas proximidades. Quando dois dispositivos estão visíveis, eles alertam os usuários, de maneira autônoma e em tempo real, sobre a violação da distância de segurança, que é configurada de acordo com os parâmetros adotados pelas empresas.

As informações coletadas pelo dispositivo são enviadas, por meio de uma rede Wi-Fi ou Bluetooth, para um sistema de armazenamento interno, que pode ser acessado para analisar todos os eventos registrados pelos sensores.  No caso de um funcionário testar positivo pelo Covid-19, o departamento de Medicina e Segurança do Trabalho, em conjunto com a área de recursos humanos, obtém imediatamente a lista de todos os dispositivos que cruzaram com o sensor utilizado pelo colaborador afetado e o tempo de interação entre eles.

De posse dessas informações, a empresa detém uma ferramenta de tomada de decisão para colocar os demais funcionários em isolamento. “É uma maneira de realizar a quarentena seletiva para garantir a segurança dos funcionários, permitindo que a produção da empresa não seja interrompida”, explica Di Cesare, acrescentando que os dados coletados podem ser trocados com os sistemas de monitoramento do Sistema Nacional de Saúde.

Em conformidade com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), nenhuma informação confidencial é mantida pela plataforma. Isso quer dizer que o sistema registra apenas os identificadores exclusivos do sensor e as relações temporais entre eles, sem qualquer associação com os dados do usuário. Os identificadores exclusivos no sensor inteligente são criptografados e as informações trafegam em um canal seguro. Além disso, o usuário precisa consentir com a distribuição de informações do sensor para sistemas externos à plataforma.

“Até que haja um método de cura, teremos que conviver com o vírus por um tempo, por isso é necessário conjugar a retomada das atividades econômicas com as necessidades de saúde das pessoas nos ambientes de trabalho. Por meio deste dispositivo, materializamos essa nova forma de voltar às atividades com segurança, permitindo a retomada da economia de forma gradual”, finaliza Di Cesare.

A Smart Proximity é parametrizável a outros cenários de segurança do trabalho, podendo ser configurada em plantas industriais ou atividades de risco, evitando, desta forma, que os colaboradores sejam expostos a ambientes perigosos.

 

Compartilhe:

VOLTAR